NAPI Trinacional

NAPI Trinacional

O Desenvolvimento Sustentável da Região Trinacional 2020 – 2040, ou Trinacional,  integra os Novos Arranjos de Pesquisa e Inovação (NAPIs). O Arranjo tem como objetivo promover pesquisas e projetos que subsidiem a tomada de decisão quanto ao desenvolvimento sustentável da região que abrange Argentina, Brasil e Paraguai.

O NAPI Trinacional se vale da pesquisa-ação, a partir de saberes populares, técnicos e acadêmicos, para desenvolver ferramentas e iniciativas que contribuam com as demandas emergentes, debates e desafios sócio-ambientais da região trinacional transfronteiriça.

Por meio de uma construção colaborativa do conhecimento, o Arranjo articula a quádrupla-hélice (setor público, setor privado, universidades e a sociedade civil), da Região Trinacional e também da França e do Chile, respeitando as particularidades, competências e interesses desse território de maneira ética, organizada, dinâmica e multidisciplinar. 

ods - img
ods - img
ods - img

Objetivos

Imagem

Promover o desenvolvimento sustentável da região trinacional por meio da proposição de subsídios sólidos a temas-chave

Imagem

Consolidar uma rede de pesquisadores e instituições

Imagem

Produzir um banco de projetos que contribuam para o atendimento das demandas da região

Imagem

Prover pesquisas e inovações de aplicação transfronteiriça construídas por meio de formações-ações

Imagem

Engajar Academia, sociedade civil, poder público e setor produtivo na visão de uma Metrópole Trinacional Sustentável

Imagem

Constituir-se como um laboratório de integração transfronteiriça sustentável

Números

5

países

1M

investidos

2

e-books

90

pesquisadores

+200

pesquisadores

3

grupos

5

células

18

parceiros

30

instituições envolvidas

NAPI PLAY

Para conhecer mais sobre o NAPI Trinacional e os pormenores dos trabalhos desenvolvidos pelo arranjo, disponibilizamos um vídeo que fala sobre as áreas de atuação, objetivos e entregas já realizadas à sociedade. Além disso, convidamos para ouvir o podcast com uma das coordenadoras do NAPI Trinacional, Adriana Brandt, que contou em detalhes como se deu a primeira fase do projeto e quais são as perspectivas para a segunda fase.